31/01/2015

All Yours: Capítulo 7 - I have to understand your side

| |
"Nós podemos fazer o sol brilhar na luz do luar, nós podemos fazer as nuvens cinzas se tornarem em um céu azul. Eu sei que é difícil. Baby, acredite em mim."
(Up - Justin Bieber)

Acordei com a campainha tocando e bufei antes de finalmente levantar da cama. O relógio em cima do criado-mudo indicava que era 9:20AM e eu xingava mentalmente quem estava me acordando a essa hora nas férias, mas abri um sorriso ao ver meu pai através do olho mágico da porta.
- Pai! - O abracei antes mesmo dele dizer algo e ele riu.
- Oi, Liv. Que demora pra abrir a porta. - Falou adentrando o apartamento e eu fechei a porta, o seguindo.
- Estava dormindo. Aliás, você me acordou de um sonho muito bom. - Me joguei no sofá e bocejei, sentindo o sono ainda presente em mim.
- Sonhando com o Justin Bieber? - Meu pai falou sério antes de sentar no outro sofá e ficar me encarando.
- Não. - Falei com as sobrancelhas arqueadas. De onde ele tirou isso? - Desde quando eu ando sonhando com o Justin?
- Não sei, talvez desde ontem. - Disse. - Eu vi as fotos. - Ri.
- Pai, você acha mesmo que eu estou gostando do Justin? Fala sério. - Revirei os olhos.
- Espero que não, Liv. Não posso mandar em você, mas é melhor não se envolver demais com ele. O garoto tem uma vida difícil e a última coisa que eu quero é ver você sofrendo.
- Não se preocupe, ok? Nós só saímos ontem, não há nada demais.
- E as fotos? Por que você estava chorando? E por que estava abraçada com ele?
- Ei, vai devagar com as perguntas. - Ele riu. - Ele puxou assunto sobre a minha mãe e eu contei tudo. Você sabe como isso mexe comigo. Eu chorei e ele me consolou. - Ele ficou em silêncio por um tempo e eu pensava em dezenas de reações que ele pudesse ter, mas ele apenas suspirou.
- Esse é um assunto sério pra ser contado assim. - Falou.
- Eu sei, pai, mas ele confiou em mim e me contou coisas sobre a vida pessoal dele que ele nunca contou pra ninguém desconhecido. Eu confiei nele porque ele confiou em mim. Não fica bravo. Eu sei que esse é um assunto difícil pra nós dois, mas... - Ele me interrompeu.
- Eu não estou bravo, Liv. - Ele sorriu, demonstrando que estava tudo bem. - Eu só tenho medo de que ele entre na sua vida de alguma forma. Esse negócio de paparazzis tirar fotos é o mínimo de tudo que acontece na vida do Justin, filha. Eu sou amigo dele há algum tempo e já vi fazerem coisas muito ruins pra tentar destruir a carreira dele, não quero que você se envolva nisso. - Sentei ao lado dele no sofá e o abracei forte, com o objetivo de mostrar que ele não precisava se preocupar com isso. Meu pai estava exagerando. Eu só saí com Justin uma vez e ele já tá achando que nós vamos nos casar e construir uma família.
- Não precisa se preocupar, pai. - Sorri fraco. - Eu já sou uma adulta, acho que tenho noção das coisas que estou fazendo. - Ele sorriu.
- Não fala esse negócio de que você é adulta! Pra mim não é. - Ri.
- É, pai, eu estou velha. - Ele riu enquanto eu levantava do sofá e me espreguiçava. - O que vai fazer hoje?
- Tenho umas três horas livre agora de manhã, mas depois vou trabalhar. Tenho que entregar esse carro do Justin logo.
- Vamos no shopping? Preciso comprar umas coisas pro Natal.
- Ah, é verdade! O Natal já tá chegando. - Ri. - Vamos sim. Vai se arrumar que te espero aqui. - Assenti e fui direto para o banheiro, onde tomei um banho rápido e bem quente. Depois disso fui para o quarto e me troquei. Uma das coisas que eu mais gosto em Los Angeles é que o inverno não é tão intenso, então não é necessário usar um monte de roupa, diferente de New Jersey que no inverno as temperaturas ficam muito abaixo de zero.
Após pegar a bolsa e o dinheiro que eu ganhei trabalhando por alguns meses na faculdade, tranquei a casa e fomos para o carro, em direção ao shopping.
- Vamos em qual? - Perguntei vendo meu pai tomar a direção contrária de Santa Monica, local onde ficava o shopping que eu costumava ir.
- Westfield Century City.
- Pai, esse shopping é caro. - Falei. Eu não poderia comprar em muitas das lojas que havia nesse shopping.
- Eu vou pagar e não adianta reclamar. - Odiava o fato de que eu não poderia arranjar um emprego. Eu estudava o dia todo e não sobrava tempo, então tinha que aguentar o fato de ser uma mulher de 20 anos que é sustentada pelo pai.
Nós chegamos no shopping depois de alguns minutos e meu pai me deu seu cartão para que eu pudesse comprar as coisas, enquanto ele me esperava na praça de alimentação. Não demorei muito, aliás eu não queria deixar meu pai esperando. Comprei o presente de Hailey, o do meu pai e comprei algumas coisas na H&M pra mim.
Ao voltar para a praça de alimentação encontrei meu pai conversando com alguém que estava de costas pra mim mas que eu pude reconhecer graças aos dois seguranças parados ao seu lado e os olhares que ele atraía. Meu pai me viu primeiro e acenou para mim, fazendo Justin virar e me olhar sorrindo. Retribuí o sorriso enquanto caminhava em direção à eles.
- Oi, Olivia. - Justin falou e me abraçou.
- Oi. - Falei sorrindo, demonstrando simpatia. - Anda nos seguindo? - Disse brincando e ele riu.
- Sim, sempre sigo mulheres que estão com o pai. - Ri.
- Justin ia na loja me entregar o pendrive. - Meu pai falou levantando o pendrive na altura do meu rosto para que eu o notasse. - Mas como ele tava por perto decidiu trazer aqui mesmo.
- Isso aí. - Justin falou e eu assenti. - Compras de Natal? - Disse apontando para as sacolas nas minhas mãos.
- Sim. Presentes...
- Legal! Eu to indo numa cafeteria aqui perto, querem ir?
- Eu não posso, tenho que trabalhar. - Meu pai falou e Justin voltou sua atenção para mim. Olhei para o meu pai e ele sorriu discretamente, demonstrando que estava tudo bem em eu ir.
- Iria ser ótimo porque até agora não comi nada. - Eles riram.
Entreguei minhas sacolas para o meu pai e me despedi dele. Depois Justin me guiou até seu carro que estava parado na rua em frente o shopping. Era um carro diferente, um Rolls Royce Phantom preto, e havia um motorista.
Nós entramos no banco de trás e Hugo no banco ao lado do motorista.
- Viu as fotos de ontem? - Justin perguntou.
- Vi. - Falei. - Acho que serei o assunto da semana das Beliebers.
- Pensa pelo bom. - Falou. - As fotos ficaram bonitas. - Justin disse fazendo graça e eu ri.
- Pelo menos isso.
- Mas falando sério... seria bom você evitar redes sociais por um tempo porque elas podem ser realmente más quando querem.
- Eu não uso redes sociais mesmo. - Falei e ele me olhou como se eu fosse algum tipo de aberração, o que me fez rir. - O que foi? Eu to falando sério.
- Em que mundo você vive? Meu Deus.
- Até pouco tempo atrás eu nem celular tinha. Não ligo pra essas coisas.
- É até difícil de acreditar. - Ri novamente. Qual o problema em não usar redes sociais?
- Eu não gosto, se eu quero falar com alguém eu ligo.
- Isso é algo bom porque as pessoas estão deixando de fazer ligações. Hoje em dia só se manda mensagens. - Falou. - Mas eu não sei o que seria de mim sem as redes sociais.
- Você é famoso, o seu trabalho pede que você as use. - Ele assentiu.
- Sim. Se não fosse as redes sociais eu acho que nem famoso eu seria. - Senti o carro parar logo depois que ele falou isso e Hugo desceu do carro, abrindo a porta pra mim em seguida.
- Obrigada. - Sorri pra ele. Era estranho, muito estranho, ter alguém pra abrir a porta do carro pra mim.
Justin saiu do carro logo atrás de mim e nós entramos numa dessas cafeterias de ricos de Los Angeles. Pegamos uma mesa afastada e rapidamente um garçom nos atendeu.
- Ryan falou algo sobre ontem?
- Não, ele só perguntou porque eu tava chorando. - Menti. Óbvio que eu não falaria que meu pai mandou eu tomar cuidado com Justin.
- Que bom. Normalmente os pais ou empurram suas filhas pra cima de mim ou mandam elas se afastarem e eu nunca consigo fazer novas amizades com pessoas que não sejam famosas. - Falou com o semblante triste e eu me senti mal por ele.
- As pessoas não conseguem entender que celebridades são pessoas normais, como todas as outras. - Ele suspirou.
- Nem me fale. É tão difícil viver sem poder confiar nas pessoas que se aproximam de você. Mesmo que elas falem que não ligam pro meu dinheiro, sempre tem um pouquinho de interesse.
- Ei! Eu não to aqui com você por interesse! - Ele riu.
- Eu sei disso. Eu vejo que você não é interesseira, até porque seu pai é rico e você nem liga pro dinheiro dele. - Assenti.
- É bom saber que você vê isso. Algumas pessoas pensam que eu sou metida, ou algo do tipo, e meu pai me mandou levar essa vida pra ver se eu mudo. - Ri lembrando de quando ouvi falarem isso de mim. Foi a coisa mais ridícula que eu já ouvi.
- As pessoas são muito criativas quando é pra falar da vida dos outros. Podiam usar essa criatividade pra fazer algo produtivo.
- Exatamente! O mundo seria um lugar muito melhor. - Ele riu concordando com o que eu disse.
- Ah, lembrei! - Ele falou de repente. - Hoje alguns amigos meus vão lá pra casa, vai ser tipo uma social. Você quer ir? Prometo que vai ser legal. - Fiquei pensando por um minuto antes de responder. Eu não sabia se devia ir, não sabia se devia estar tão próxima do Justin a ponto dele me chamar pra casa dele, não sabia se meu pai estava certo quando disse que eu não devia me aproximar tanto dele, eu não sabia de nada.
- Eu não sei... - Foi só o que saiu da minha boca.
- Vamos. - Implorou. - Eu juro que vai ser algo normal, não vai ter nenhuma pessoa super famosa lá. Tirando eu, é claro. - Se gabou e eu ri. Ele era engraçado quando tentava se gabar porque parecia muito forçado. - Já sei! Você tá com medo de ir, é isso? Olha, não precisa ficar com medo, eu não vou te agarrar lá, nem o Khalil. Ele é safado, mas não a esse ponto.
- Justin! - Falei rindo. - Não to com medo de alguém me agarrar lá.
- Então o que é?
- Você sabe... vão falar mais ainda de mim e eu me sinto incomodada. - Ele bufou irritado.
- Você gosta de passar um tempo comigo? Por que se realmente gostasse você não ia se importar de que algumas pessoas que você nunca viu na vida falem de você. - Ele falou tudo de uma vez e eu suspirei, procurando as palavras certas para falar.
- Eu gosto de... "passar um tempo" - Fiz aspas com os dedos. - com você, mas tenta se colocar no meu lugar. Eu nunca gostei de receber tanta atenção assim e de uma hora pra outra eu tenho meu rosto em vários sites do mundo. To assustada com tudo isso, Justin.
- Eu sei, mas tenta enxergar que as pessoas só se assustaram ao me ver abraçando uma mulher na praia. Logo a poeira vai abaixar e vão esquecer. - Falou. - E aliás, vamos parar com esse assunto porque estamos parecendo um casal discutindo. - Nós rimos.
- Tem razão. Olha, posso te dar uma resposta depois? - Ele assentiu.
- Pode, mas eu espero que seja um sim. - Ri. - Você viu como o carro tá ficando? - Perguntou mudando o assunto.
- Só vi de longe e ele estava muito bonito.
- Ele tá ficando lindo! Você tem que ver.
- Você tá mesmo animado com esse carro. - Ele riu.
- Sim, toda vez que algum carro meu é personalizado eu fico assim. - Falou e em seguida levantou da cadeira. - Vamos? Não posso ficar muito tempo em um mesmo lugar senão aparece um monte de fãs e paparazzis.
- Vamos... - Falei. Cada vez que eu saía com ele eu me surpreendia mais com a sua vida.
Justin pagou a conta e nós voltamos para o carro, mas não antes de dois paparazzis que estavam ali tirarem fotos nossas.
- Acho que vai ter mais umas fotos suas na internet. - Dei de ombros e ele me olhou com a sobrancelha arqueada. A verdade é que eu precisava entender que essa era a vida do Justin, não tem como ele fugir disso, e já que estamos nessa fase "amigos", então eu teria que me adaptar a sua vida. Ou era isso, ou eu paro de falar com ele, coisa que eu não quero fazer. É bom poder conversar com ele, apesar de toda essa loucura.
- Acho que tenho que passar a entender o seu lado. - Ele sorriu e passou a olhar para frente.
- Obrigada. - Falou agora me olhando e eu retribuí o sorriso. - Acho que nunca ouvi isso. - Falou e riu fraco, o que me fez sorrir.
- Ainda posso ir na sua casa?
- Claro! Eu te busco lá pelas 8 horas, pode ser?
- Sim. - Ele assentiu e então voltou a olhar para frente. Ficamos em silêncio por um tempo e então ele voltou a falar.
- Quer saber de uma história engraçada que eu tava lembrando? - Perguntou.
- Sim.
- Uma vez eu parei pra tirar foto e falar com alguns fãs e teve uma garota que pediu um beijo na bochecha. Claro que eu dei, mas ela virou o rosto e me beijou na boca. - E então ele começou a rir, o que fez eu, Hugo e o motorista rir também.
- Essa garota sabe como conseguir o que quer. - Hugo falou e Justin riu mais ainda. Sua risada era contagiante.
- Sim, cara. Eu fiquei com vergonha na hora, mas sempre vou rir quando lembrar disso.
- Ela deve tá feliz até hoje. - Falei e ele assentiu.
- Quem não ficaria feliz em me beijar? - Revirei os olhos.
- Vamos abaixar a bola, né querido. - Falei o fazendo rir novamente.
- Sr. Bieber, vamos pra sua casa? - O motorista perguntou.
- Não, não. - Ele virou pra mim. - Quer que eu te deixe em casa ou na oficina?
- Em casa se não for incomodar. - Ele assentiu.
- Vamos pra casa dela. Fica em Brentwood.
- Justin. - O chamei.
- Que?
- Quem vai tá na sua casa?
- O Ryan Butler, Khalil, Hailey, Sammy, Kendall, Hugo e acho que só. - Assenti. Como se eu conhecesse todas essas pessoas. - Você pode levar alguém se quiser.
- Não acha isso meio perigoso? - Ele riu.
- Você é de confiança. - Sorri.
Nós ficamos em silêncio o resto do caminho. Justin estava cantando baixo a música que tocava no rádio, Hugo mexia em seu celular e eu fiquei apenas olhando a paisagem e pensando no que eu estava fazendo com a minha vida.


Heeeey! Olha quem tá aqui de novo! rsrsrsrsrs
Como estão gente?
Se não gostarem desse capítulo eu entendo pq eu também não gostei muito :( Vou tentar compensar no próximo, ok?
Mas então gente, o que vcs acharam da participação do Justin na Ellen? Eu to muito feliz ljdfkldsjfldjel Ele estava tão lindo e tão nervoso haha <3 2015 é o ano dele e ele vai voltar sambando *u*
E genteeeee amanhã, dia 01/02, é meu aniversáriooooooo! \o/ TO MUITO VELHA, SCRR
Queria pedir a ajuda de vcs pra eu conseguir o follow do Justin como presente haha Meu Twitter é @BieberIsAngel_ aí se vcs pudessem tweetar coisas do tipo "hey Justin, follow @BieberIsAngel_, it's her birthday" iria me ajudar muitooo. E ah, se puderem me seguir eu sigo de volta, é só deixar o user aqui ^^
E fiquei feliz que vcs gostaram do Envie Sua Fanfic. Eu tenho mais algumas aqui pra postar, espero que gostem delas tbm :D
E é isso, gente! Obrigada por todos os comentários e elogios, vcs me deixam muito felizes <3
Beijinhos e até o próximo capítulo ;*

Divulgando:

15 comentários:

  1. Divulga pra mim florzinha

    fanficsdanina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. pode deixar que eu vou postar no meu twitter sim .. e que eu vou lhe seguir , parabens ! muitos anos de vida e felicidade! continue assim vc vai longe! Continue a fic !!

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Poderia visitar meu blogs de IBH?
      http://imaginandobeliebersonha.blogspot.com.br/

      Excluir
  4. Respostas
    1. Poderia visitar meu blogs de IBH?
      http://imaginandobeliebersonha.blogspot.com.br/

      Excluir
  5. Parabéns minha lindaaa ! Ta mais velha hj hahah!! Ótimo capítulo continua plss! ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poderia visitar meu blogs de IBH?
      http://imaginandobeliebersonha.blogspot.com.br/

      Excluir
  6. Respostas
    1. Poderia visitar meu blogs de IBH?
      http://imaginandobeliebersonha.blogspot.com.br/

      Excluir
  7. ANNNNN QUE FIC DIVAAAAAAAAAAAAA
    Poderia visitar meu blogs de IBH?
    http://imaginandobeliebersonha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. dIVULGA??
    http://imaginandobeliebersonha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Awwn continua
    eu quero os dois juntos logo *-*

    ResponderExcluir
  10. http://ficsrn.blogspot.com.br/ Divulgue meu mais novo blogger? Agradeço desde já <3

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar um comentário. Além de deixar a autora feliz, vai ajudá-la a saber se você está gostando ou não. Se achar algum link que não esteja funcionando nos avise.