07/07/2014

Only Best Friends Second Season: Capítulo 23 - You still love her, Thomas

| |

Katherine Collins P.O.V
- Amor, amor acorda! – balancei Justin levemente e ele abriu os olhos, piscou algumas vezes e se sentou, encarou Brian que dormia na outra ponta do sofá por alguns segundos e em seguida se espreguiçou.
- Por quanto tempo eu dormi aqui? – ele perguntou em um sussurro rouco ao notar que ainda estava escuro.
- Um bom tempo, são quatro da manha agora – cocei meus olhos e prendi meu cabelo em um coque – Você leva Bry para o quarto?
- Uhum! – Justin se levantou e pegou Brian com cuidado para não acorda-lo, acendi a luz do corredor para podermos subir as escadas tranquilamente, abri a porta do quarto de Bry e caminhei ate a cama puxando o edredom ate o final da mesma. Justin deitou o filho no colchão e eu cobri seu corpinho ate o ombro, dei um beijo em sua testa e logo em seguida Justin fez o mesmo.
Ao entrar em meu quarto, peguei uma calça de moletom e uma regata no closet e me troquei, fui ate o banheiro em seguida e escovei meus dentes. Uma vez preparada para dormir, assim como Justin, apaguei a luz de todo o cômodo e deitei-me na cama. Justin logo tratou de passar seu braço por minha barriga ficando deitado de lado, enquanto eu estava de barriga para cima.
- Boa noite minha gordinha – ele disse em meu ouvido, rindo em seguida.
- Ah amor, para com isso, por favor – olhei para ele, mesmo que estivesse escuro, eu conseguia enxergar o formato de sua boca e o leve brilho que os seus olhos tinham – Se com cinco meses você já esta me chamando de gordinha, imagina quando eu estiver para parir.
- Você vai continuar sendo minha gordinha, ué! – Justin espalmou sua mão em minha barriga e fez um carinho naquela região com o seu polegar. Um silencio foi instalado no quarto depois disso, só se ouvia a nossa respiração e o tic-tac que o relógio fazia.
Meus olhos começaram a se fechar então eu me virei de frente para Justin e o abracei, enquanto minha cabeça ficava encostada em seu peitoral.
- Boa noite – sussurrei e sorri fraco ao sentir Justin dar um beijo no topo de minha testa.
- Boa noite, meu anjo!
Depois disso eu não vi nem ouvi nada, fui levada pelo sono.

Um mês e meio depois
- Pai, mãe, pai, mãe! – Brian abriu a porta do quarto com tudo e correu ate a cama, subiu na mesma e puxou o cobertor que cobria tanto a mim como a Justin – Passou na televisão – ele respirou fundo e fechou os olhos por segundos, ao voltar abri-los arregalou os olhos animados -, aquele jogo que eu quero ta vendendo naquela loja de brinquedos do shopping, paaaaai!
- Meu anjinho – falei puxando seu braço para ele deitar no meio de mim e Justin, que por sua vez resmungava alguma coisa -, bom dia!
Bry riu fraco e encheu meu rosto de beijo.
- Bom dia mãe, mas então, nós vamos comprar o meu jogo?
- Bry pelo amor de Deus, nós acabamos de acordar – Justin murmurou bravo -, tenha paciência, nós vamos depois do almoço okay?
- Mas pai, vai acabar – Brian disse fazendo manha – Por favor, vamos agora!
- Filho, não vai acabar ta bom? – falei acariciando o seu rosto, Bry fez um fico imenso e cruzou os braços. Encarei aqueles olhos castanhos pidões e respirei fundo para não me entregar, não podia fazer todas as suas vontades. Brian não podia se tornar uma criança mimada e chata.  
Sentei com dificuldade, afinal já estava de seis meses e duas semanas, céus como passou rápido. Passei as mãos pelo rosto e com o elástico que estava no criado, eu amarei meu cabelo em um rabo, apoiei uma mão no colchão e finalmente me levantei. Minha barriga já estava começando a ficar pesada.
- Justin enquanto eu tomo um banho, olha o Brian no chuveiro ta? – falei separando uma peça de lingerie.
- Ah amor, por que tem que ser eu?
- Ah mãe, eu não quero tomar banho agora – respirei fundo e contei ate dez.
- Façam o que eu estou pedindo, se vocês se esqueceram, eu não posso fazer esforços e muito menos me estressar. – Justin bufou contra o travesseiro e assentiu ainda relutante – Estamos entendidos?
- Estamos! – Justin e Brian disseram em uníssono e eu sorri satisfeita. Fui ate o banheiro e despi-me, fechei a porta do box atrás de mim e liguei o chuveiro.
Eu não demorei nem vinte minutos no banho, já que Brian ficava gritando na porta do banheiro para mim não enrolar, meu Deus será que ele não entendeu que vamos no shopping só depois do almoço? Separei um vestido rosa claro em cima da cama e vesti uma lingerie branca para depois passar o creme no corpo e o perfume no pescoço. Coloquei o vestido, deixando apenas o zíper aberto já que era nas costas e eu não o alcançava, e calcei uma rasteirinha. Desci as escadas de casa lentamente e caminhei ate a cozinha, encontrando Justin e Brian sentados a mesa tomando o café.
Justin já estava arrumado, deduzi que ele havia tomado banho no banheiro do quarto de hospedes. Brian vestia uma calça jeans escura e uma camisa azul, e nos pés um tênis, aproxime-me dele e depositei um beijo em sua testa.
Ao parar ao lado de Justin, fiquei de costas a ele e falei;
- Fecha para mim – ele coçou a garganta e bateu as mãos uma na outra para limpá-las, antes dele fechar o zíper do meu vestido Justin beijou minhas costas ate então nua e finalmente fechou.
- Esta linda! – ele falou sorrindo quando eu me virei para ele, sorri e lhe dei um selinho. Sentei-me ao seu lado e comecei a tomar o meu café. – Vamos na casa da minha mãe hoje? – perguntei quebrando o silencio. Brian assentiu animado e Justin também.
- Agora ou mais tarde?
- Vamos agora, sim? – ele assentiu novamente.
Ao terminarmos o café, fomos todos escovar os dentes e em seguida caminhamos ate a garagem. Coloquei Brian na cadeirinha e depois me dirigi para o banco da frente, o caminho ate a casa da minha mãe foi sossegado e em silencio. Ao apertar a campainha e a porta ser aperta pelo meu pai, sorri e o abracei forte.
- Que surpresa boa! – ele disse cumprimentando Justin e em seguida se abaixando para pegar o neto no colo – Como vai o meu neto preferido?
- Vô, eu sou o seu único neto – Brian disse como fosse o obvio arrancado uma risada do meu pé.
- Não é não, mocinho. Agora eu tenho uma netinha – Bry cerrou os olhos pensativo e por fim respondeu
- Mas eu sou o único menino, então eu continuo sendo seu neto preferido.
- E a Sophie é minha neta preferida? – Math arqueou a sobrancelha e Brian deu de ombro varias vezes em seguida saiu correndo pela casa – Pestinha como sempre!
Minha mãe estava comendo um pedaço de bolo juntamente com Brian, quando entramos na cozinha. Sentei-me no balcão e Justin ao meu lado depois de cumprimentarmos a mulher.
- Onde esta Thomas? – perguntei
- Tomando banho – assenti. Em segundos minha mãe, pois a se falar sobre uma tia minha da Inglaterra, disse que ela estava prestes a morrer e que no dia seguinte viajaria para Liverpool para consolar a família. Eu não dei muita atenção, já que nunca havia visto essa tia, só a conhecia por fotos.
Senti dois braços me abraçar e começar a acariciar minha barriga, virei o rosto e encontrei meu irmão sorrindo. Levantei e o abracei forte, havia cerca de um mês que não nos víamos já que Thomas quase não parava mais em casa.
- Você esta bem? – perguntei e ele murmurou um sim sobre meu pescoço, já que seu rosto estava apoiado em meu ombro.
- E você? Esta bem? Esta cuidando direito da minha sobrinha linda? Tá comendo direito Katherine? – ele perguntou de uma vez e eu gargalhei.
- Senhor, você consegue ser pior que o Justin e meu pai juntos – Tom revirou os olhos e deu um beijo em minha testa. Fez um toque com Justin e depois pegou Brian, o jogando no alto. Mordi os lábios encarando a cena, eu sempre fiquei desesperada quando alguém fazia isso com meu filho, caramba eles não pensavam nas consequências de uma queda?
- Maninha, eu vou ir no shopping comprar um celular para mim, posso levar esse pirralhinho comigo?
- Ei eu não sou um pirralho – Brian reclamou arrumando o cabelo que o tio havia bagunçado.
- Nós vamos com ele comprar um jogo – disse Justin
- Ah, pode deixar que eu compro – Tom falou dando de ombros – Um presente por você estar se comportando
- Quem disse que ele esta se comportando? – falei cruzando meus braços, Bry me encarou com os olhinhos tristes e eu me segurei para não amassar aquele toquinho – Brian esta muito teimoso ultimamente.
- Mas mamãe o que eu fiz? – ele perguntou vindo ate mim – É por eu não ter guardado os meus brinquedos ontem, quando você me pediu?
- Foi e mais por um monte de coisas – meu filho abaixou a cabeça e caminhou ate a cadeira para se sentar – Bebe? – Brian me olhou com um pequeno bico e ai meu coração se derreteu – Eu estava brincando tá? Você é o filhinho mais obediente desse mundo – enchi seu rosto de beijos enquanto ele ria aliviado.
- Pois bem, ele vai comigo ou vocês o levam? – Thomas perguntou
- De qualquer forma, eu e Justin tínhamos que ir ao shopping, precisamos comprar algumas coisinhas para o quarto de Sophie.
- Já esta pronto? – perguntou meu pai
- Quase, – sorri – Semana passada, o pintor foi em casa para pintar o quartinho de lilás e segunda foram colocar o papel de parede em uma das paredes. Ontem chegou os moveis e agora só falta a parte da decoração.
- Vó, esta muito lindo – Brian disse sorridente
- É mesmo querido?
- Uhum!
Por fim decidimos ir antes do almoço, nem preciso dizer o quanto Brian comemorou. Enquanto íamos nós três em um carro, Tom vinha logo atrás com um de seus carros. O shopping ficava três quadras da casa dos meus pais e por fim não levamos nem cinco minutos para já estarmos estacionando os veículos e caminhando ate a entrada.
Se fosse há alguns anos atrás, as pessoas estariam nos encarando com os olhos arregalados e as meninas criando o nome de Justin. Hoje isso mudou e muito, não que Justin não seja recebido calorosamente em muitos lugares, mas acho que as pessoas já se acostumaram vê-lo andando pelo shopping ainda mais quando tivemos o Brian. E agora com Sophie as coisas só melhoraram.
 As fãs de Justin respeitavam nosso espaço, quando nos via em, por exemplo, momento de família o máximo que faziam eram pedir uma foto ou autografo e não ficavam nos seguindo para cima e para baixo. Nos dias em que saia apenas eu e Justin para resolvermos as coisas do quarto da nossa filha, não éramos interrompidos a todo instante e ambos ficávamos felizes com isso por notar que o mundo havia finalmente se tocado que assim como eu, Justin era humano.
A melhor parte de tudo isso, foi ver que todos ficaram felizes em saber que teria mais um Bieber no mundo, as Beliebers reagiram muito melhor do que na minha primeira gravidez. Era incrível ver que elas estavam crescendo junto com Justin, não tinha mais aquelas intrigas entre fandons, muito menos por uma apoiar eu e Justin juntos e outra não. Não havia mais paparazzi esperando que Justin errasse e estampasse a noticia em jornais na manha seguinte, havia apenas aqueles paparazzi que tiravam fotos do novo Justin.
E sim, eu podia dizer que ele era um novo homem, por que apesar de tudo o que aconteceu, ele amadureceu. Ele cresceu diante dos seus erros e se tocou que a melhor coisa que ele tem nesse mundo é a família dele e suas fãs. Apenas isso. Não há festas muito menos mulheres seminuas que venha dizer o contrário.
Todo o meu “refletimento” sobre os últimos anos, foram despertados quando eu acabei esbarrando em alguém.
- Humf! – exclamei – Me perdoe!
- Eu não acredito – uma voz feminina soou alegre, pisquei algumas vezes e encarei a mulher em minha frente.
- Eu não acredito – falei a mesma coisa e deixei um sorriso imenso aparecer em meu rosto – Ai meu Deus, que saudades de você garota.
Clary riu e me puxou para um abraço apertado.
- Você esta tãoooooo linda Kath – ela disse me encarando dos pés a cabeça – Olha o tamanho dessa barriga, eu vi na internet que você estava grávida de novo... Poxa nós perdemos totalmente o contato desde quando... – ela parou com a boca aberta e riu fraco
- Faz muito tempo que não nos víamos – falei tentando deixar aquele assunto de lado.
- Onde esta o Brian? A ultima vez que o vi ele tinha apenas um aninho – ela perguntou animada. Me virei para trás e mordi o lábio ao ver Thomas paralisado olhando para a mulher que um dia foi o amor da sua vida. Bry estava ao seu lado o encarando sem entender nada. Voltei minha atenção a Clary e ela se encontrava da mesma forma que meu irmão, olhei de canto para Justin e ele fez um cara do tipo “ferrou!”.
Cocei a garganta falsamente e chamei Brian para ver a “ex-tia”, isso soava tão estranho. Clary saiu do transe e se agachou em frente ao meu filho, Bry por sua vez a encarou confuso. Obvio que ele não se lembrava dela.
- Essa é Clary, filho – disse Justin – Ela é uma velha amiga nossa!
Clary sorriu agradecida para Justin por ele não ter ousado em dizer “e também ela é a ex-cunhada da sua mãe”
- Eu te peguei no colo, quando você era pequenininho, sabia garotinho?
- Pegou? – Bry fez uma careta arrancando uma risada de Clary.
- Cla-Clary? – a voz de Thomas fez com que o corpo magro de Clary se enrijecesse, ela se levantou e sorriu envergonhada.
Ali eu podia afirmar algo sem duvida alguma: Thomas fez a maior burrada da vida dele quando terminou o noivado com aquela mulher. Ele sempre deixou tão claro o quanto amava Clary e de um dia para o outro falou que seus sentimentos havia mudado? O pior de tudo era ver o arrependimento brilhado em seus olhos, e a compaixão nos olhos de Clary.
Eles ainda se amavam. Mas havia passado tantos anos e talvez não seja a mesma coisa para ambos.
- Filho, vamos lá comprar seu jogo? – falei e ele assentiu segurando minha mãe e a de Justin. Virei-me e comecei a andar em direção ao corredor da esquerda. Olhei para trás e sorri fraco ao ver que Thomas falava algo para Clary, enquanto ela encarava o chão com os braços cruzados.
- Espero que eles se resolvam – sussurrou Justin e eu assenti concordando.

Justin Bieber P.O.V
Depois de comprar o jogo tão almejado por Brian, deixei o pequeno em um espaço infantil repleto de brinquedos para eu e Katherine podermos comprar as coisas do quartinho da minha outra pequena.
- Vamos ver tudo de uma vez ai depois comemos alguma coisa okay? – falei para Kath e ela assentiu observando a vitrine de uma loja de criança. Entramos nessa mesmo, e logo fomos atendidos por uma mulher já de idade.
Tanto eu como Katherine ficávamos perdidos por ter tanta coisa, eu não achava que isso era coisa de se fazer com uma amiga ou com a mãe. Eu era o pai, eu que tinha que ajudar na decoração, certo?
- Amor olha! – Kath falou apontando para alguns quadros – Esse ou aquele?
- Os dois são bonitos – torci os lábios – mas, eu prefiro o da direita.
- Foi o que eu pensei – sorriu vendo que tínhamos o mesmo gosto. Katherine seguiu a atendente por um longo corredor e eu fui logo atrás. Na parte de trás da loja havia apenas enxoval e foi ai que Katherine pirou mais ainda. Eu devia admitir que era um mais bonito que o outro e que, claro, eu entregava nas mãos da minha mulher para decidir qual levar.
Depois de quase meia hora em duvida entre um que era branco com detalhes roxo, outro que era lilás e mais um que era bege claro, eu disse
- Leve os três amor! – disse sufocado por tantas perguntas de sua parte – Você pode colocar um em cada dia, ou sei lá, um por semana.
Katherine riu e por fim colocou os três no carrinho, que por sua vez já estava cheio ate a metade. O que continha? Basicamente tudo o que um quarto de bebe requer, desde a decoração como utensílios do dia a dia.
Uma hora e meia depois, estávamos colocando as sacolas – da primeira loja – no carro e voltando para ir agora comprar as roupinhas. Eu via que era algo prazeroso para Kath e eu ficava feliz com isso.
Na segunda e terceira loja, levamos menos tempo. Compramos roupas para Sophie usar nos primeiros meses de vida, deixaríamos as outras para adquirir com o tempo.
Pegamos Brian nos brinquedos e seguimos para a praça de alimentação. Em nenhum momento encontramos Thomas de novo, nem quando passamos no corredor em que esbarramos com Clary.
Como Katherine tinha que manter uma alimentação saudável, fomos a um restaurante self-service e não no Mc Donald’s como te costume. Brian aceitou numa boa por que entendia que a mãe tinha que se cuidar.
- Eu quero purê de batata, batata frita, quero macarrão também e frango. Mas aquele frango que eu gosto, sabe mãe? – Kath assentiu com os olhos arregalados
- Tem certeza que você vai aguentar? – ela perguntou e Brian assentiu.
- Eu vou fazer o prato dele okay? – eu disse e Kath assentiu
- Eu faço o meu depois então!
- Pode deixar que eu também faço, é só você falar o que quer – insisti e ela sorriu fraco enquanto me encarava nos olhos. Senti sua mão deslizar para a minha nuca e puxar meu rosto ate ela poder selar nossos lábios.
- Obrigado por toda a preocupação – ela sussurrou e eu sorri dando-lhe um selinho – Amo você!

Katherine Collins P.O.V
Enquanto Justin preparava os nossos pratos, Brian estava jogando em seu celular e eu decidi ligar para Thomas, o mesmo não demorou muito para atender.
“­- Oi! – ele disse em um sussurro, eu tinha certeza que ele ficaria abalado.
 - Tom, você já foi embora?
- Sim, deixei o celular para outro dia.
­- Hum, você pode ir de noite em casa? – perguntei mordendo os lábios
- Para que?
- Eu quero muito conversar com você. – Thomas ficou um instante em silencio ante de responder.
- Okay, lá pelas nove horas eu apareço na sua casa.
- Vou estar te esperando”
[...]
Eu estava deitada no sofá assistindo a um filme quando a campainha tocou. Eu havia pedido para Justin ficar com Brian no quarto, já que queria ter uma conversa apenas com meu irmão.
Ao abrir a porta, encontrei Thomas com a cabeça baixa e as mãos no bolso de da calça, sorri fraco e dei espaço para ele entrar. Tom se jogou na poltrona e eu me sentei a sua frente. Eu não sabia por onde começar então encarei minhas mãos e suspirei mordendo os lábios.
- O que queria falar comigo?
- Tom, eu... – fechei os olhos e ri fraco com a minha falta de jeito -, você deve saber que eu nunca gostei de me meter em seus relacionamentos, assim como você nunca gostou que eu o fizesse. Vice-versa!
Thomas assentiu e entrelaçou suas mãos.
- E por isso eu nunca quis tocar no assunto no longo desses anos, mas...
- Você ira tocar agora – ele sussurrou rindo nervoso – Eu não quero falar sobre isso, Katherine. Você sabe que...
Ele se interrompendo com os olhos marejados e escondeu o rosto nas mãos
- Senhor o que eu fiz? E-eu amava tanto aquela mulher. – ele despejou e eu me endireitei. Eu conhecia meu irmão como ninguém, sabia que quanto ele dizia que não queria conversar sobre um assunto era mentira, ele só esperava que alguém percebesse que ele precisava desabafar e ter o primeiro passo. Thomas era orgulhoso e a única pessoa que fazia ele mudar plenamente era Clary.
- Tom – sussurrei me sentando ao seu lado, de forma espremida mais com que eu pudesse abraça-lo. Naquele instante eu vi o meu irmão chorar tudo o que eu acho que ele não chorou.
- Kath é tudo culpa minha, sempre foi culpa minha.
- O que foi que você fez? – segurei suas mãos e o obriguei a olhar em meus olhos – Por que você deixou uma mulher como Clary escapar pelos seus dedos?
- Eu a amo tanto – ele murmurou como se eu não estivesse dito nada.
- Thomas me responda!
- Clary é estéril, Kath! – eu parei subitamente com a sua revelação, as imagens das vezes em que eu insistia para ter um sobrinho passavam em minha mente. E todas as vezes Clary ficava sem graça, e eu achava que era apenas vergonha. – Ela não pode ter filho, ela não podia dar tudo o que eu sempre quis; um filho.
- Tom e você terminou o noivado por conta disso? – ele negou com os olhos fechados e engoliu em seco.
- Exato três meses em que ela me contou que era estéril, eu descobri que em algumas semanas ela iria fazer inseminação artificial, estava tudo pronto e ela não ousou me dizer nada Katherine. Nada. Eu fiquei tão chateada com ela por conta disso, ela estava ficando louca com isso, ela queria ser mãe mas não podia, e as vezes eu sentia que eu era estéril ali. Que eu estava impedindo de sermos pais, por que Clary estava tão obcecada que tinhas horas que ela descontava toda a sua frustração em mi.
- Tom – falei – Não precisa continuar
- Não, eu vou continuar – ele disse firme – Eu disse á ela que podíamos adotar uma criança Kath, nós podíamos pegar um recém-nascido que uma mãe não tinha condições de cuidar, ou uma já crescida. Ela podia escolher. Mas Clary não queria, ela dizia que não podia ter um estranho dentro de casa, e mais uma vez ela me mostrava que estava ficando louca. Eu estava ficando cansado disso e por isso eu decidi terminar, ela não queria ter um estranho em casa e eu não queria ter uma criança que seria filho apenas dela e de um desconhecido, quando nós podíamos juntos sermos pais de sangue.
Thomas soluçou alto e me abraçou forte.
- E, hoje, quando eu a vi... ela estava tão linda Kath, eu podia ver que ela estava recuperada.
- Sobre o que vocês conversaram?
- Muitas coisas – ele fungou e sorriu fraco -, nós combinamos de nos ver mais vezes
- Sério? – ele assentiu
- Clary passou o numero do seu celular – sorri vendo os olhos de Thomas brilharem – Amanha vamos nos encontrar em um barzinho em que costumávamos ir quando a gente estava juntos.
- Conquiste-a de novo – ele sorriu assentindo – E quando isso acontecer entrem em um acordo tudo bem? Há muitas crianças que precisam de pais por aí, como eu precisava quando nossos pais me encontraram.
Hey garotas! Alguém ai animada para o jogo amanhã, hum? Bom eu estou e muito.
E então a dona Clary deu as cara hein? O que acharam do Thomas desabafando? E sobre a Clary ser estéril? 
Para as meninas que pediu sugestão de fanfic, olha eu não to lendo muto fic de uns tempo para cá, pq eu to cheia de livros que eu ainda não li aqui em casa e eu preciso terminar. Mas as que eu acompanho e suuuuuuper indico é
Behind The Scenes: http://behindthescenesfic.tumblr.com/  (se pedir senha é: naoquerosenhaquerogeneral)
São só essas que eu venho lendo. BTS a menina posta a cada um mês, ela já esta para postar. E PMI ta em hiatus mas a escritora disse que posta talvez no dia quinze.
Eu até já indiquei elas da última vez que me pediram indicações.
Beijookas e bye

23 comentários:

  1. U.u primeira !!! Está Pft ... 😍😍 essa fic é tão viciante !!!!! Eu conto os dias e as horas pra cada segunda !! Melhor fanfic.. Parabéns !!

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente perfeito,é mt bom a historia nao girar so entorno dos dois e se abrir pra outros personagens tb,vc escreve mt bem ;-) perfeito ♥

    ResponderExcluir
  3. Nossa que top tadinha da Clary e vc sempre divando com esse capitulos maraaa kk continua

    ass:Mi

    ResponderExcluir
  4. Continuaaaa
    Ameiiiii
    #Anciosa
    Sua diva :)

    ResponderExcluir
  5. Ahhh continua quem ta animada serve eu???? Super animada cheia de esperança vc viu o q fizeram com o meu principe?? (Ney) chorei demais
    cara capitulo incrivel continuaaa pft tao show o Thomas Justin

    ResponderExcluir
  6. Ta muito divo continuaaaaaa,eu amei ta lindo esse capítulo.
    Muito ansiosa pelo próximo e curiosa tbm kkkkkkkkkkk contando os dias e as horas pro próximo.

    ResponderExcluir
  7. Aii'n nao to conseguindo comentar ali em baiixo affu"'
    Maaais amooor qq isso , pirei dinovo,p varia ta normal ja isso ... cara muita emoçaoo , coontinua logoo , nao vejo a horaa do proximo , e que venham surpresaaas iihull tcheêe!!!! Jubs <3 (junia)

    ResponderExcluir
  8. Cara, chorei com esse desabafo do Tom, sem mentira!!
    Tomara q ele volte com a Clary!!!
    FICOU MUITO PERFEITO!
    JATHERINE É TÃO MEIGOOO!!! *--------*
    ESSA FIC É PERFEITA DEMAIS CARA!
    Continua, xoxo ♥

    ResponderExcluir
  9. Ta pft essa fic é viciante 😍 continua logo, to ansiosaaaaa bjs 😊😊

    ResponderExcluir
  10. Aii que meigo continuar ♥

    ResponderExcluir
  11. Leitora nova aqui U.U haha, me apaixonei por essa fanfic *-* ela eh tao perfeitaa, acompanho ela desde a primeira temporada e sinceramente eh a fic mais fofa que eu jah li, Continua Diva *-*

    -Carolina

    ResponderExcluir
  12. Leeeeeitora nova aqui , simplismente ameeeei seu blog *-* ♥

    Ainda não acordei desse pesadelo , infelizmente não foi dessa vez para o Brasil :'(

    ResponderExcluir
  13. Sabe o q eu lembrei ? E os sonhos estranhos q Katherine tinha ?

    ResponderExcluir
  14. perfeito, amei tudo e o Thomas e Clary tem que voltar. Bjjjjs da thay

    ResponderExcluir
  15. Continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  16. Continuaaaaaaa se não vou morrer (dramática nem um pouco né kkkkkkk) continuaaa logo.

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar um comentário. Além de deixar a autora feliz, vai ajudá-la a saber se você está gostando ou não. Se achar algum link que não esteja funcionando nos avise.