10/12/2013

Only Best Friends: Capítulo 11 - Do you trust me? Yes, I trust

| |
Eu não quero
Desperdiçar o fim de semana
Se você não me ama. Finja 
 Ron Pope A drop in the ocean
Katherine Collins POV
Chegamos em Roma por volta da uma da tarde. Fomos direto para a casa onde iríamos ficar. Ela era bem afastada do movimento da cidade. Dentro dela, podia até se dizer que estava em uma casa de campo. Possuía dois andares, embaixo; a sala, cozinha e um banheiro. Em cima; duas suítes e outro banheiro.
Decidimos por fim, não sair hoje, já que a viajem tinha sido um pouco exaustiva, embora tenhamos dormido ela inteira. Enquanto Justin assistia TV, organizei nossas coisas no armário que ocupava uma parede inteira. Depois de tudo no seu lugar pedimos uma pizza e comemos assistindo um filme de comédia. 
As horas passaram, literalmente, muito rápido, quando dei por fim já estava escuro. Tomei um banho e vesti meu pijama, assim que me deitei Justin entrou no quarto.
— Já vai dormir? — se sentou ao meu lado.
— Não, vou me preparar para morrer — disse irônica.
— Nossa, casa com sua ironia.
— Vamos ser felizes para sempre — o olhei rindo e ele logo me acompanhou — Já tomou seu banho?
— Estou indo agora. Me espera? — assenti, Justin entrou no banheiro e deixou a porta encostada. Escutei o barulho da água caindo e logo ele começou a cantar o que me fez rir — Who's gonna make you fall in love? I know you got your wall. Wrapped all the way around your heart 
Só então percebi que ele cantava Fall, e no mesmo instante um sorriso enorme surgiu em meus lábios. Alguns trechos dessa música tem muito haver conosco, apesar de, quando ele a lançou não tínhamos em mente um dia ter um "relacionamento". Cinco minutos depois ele saiu com a toalha enrolada na cintura, corei intensamente e olhei para outro canto do quarto. Fiquei tão distraída que acordei dos meus pensamentos quando Justin se deitou ao meu lado e me puxou para mais perto de si. 
— Boa noite Jus — sussurrei já com os olhos fechados.
— Boa noite minha princesa — ele se curvou meio desajeitado e beijou minha testa depois meus lábios. 


"— Não temos lugar para ela aqui. Sinto muito mesmo senhor, mas aqui não tem estrutura para recém-nascidos.
— Mas eu preciso da ajuda de você, só dessa vez. 
— Sinto muito é que se eu te ajudar vou ser prejudicada. Não posso perder meu trabalho, tenho uma filha e tenho que sustenta-lá. Desculpe.
— Tudo bem!
O lugar, que julgo ser uma sala, logo mudou para um pequeno beco com as paredes sujas e mofadas. O cheiro era insuportável, senti minhas costas encostando em algo mole e fedido.
— Desculpe por isso — sussurrou uma voz grossa — Eu não queria te deixar, mais é que...."
— NÃO, NÃO ME DEIXE POR FAVOR — acordei gritando e logo tampei minha boca na tentativa falha de não acordar Justin.
— Katherine? Kath o que foi? — ele se sentou eufórico e acendeu o abajur — Ei, calma! — o abracei forte e coloquei meu rosto na curvatura de seu pescoço — Foi só um sonho, respira fundo.
— Justin, eu estou com medo — disse chorando — Ele me deixou Justin, me deixou.
— Ele quem Kath? — perguntou me olhando confuso.
— Eu não sei — suspirei — Acho que estou ficando maluca — ele riu fraco.
— Você não esta ficando maluca Kath, foi apenas mais um sonho.
— Estranho como todos os outros — me deitei bufando e passei a mão sobre meu rosto, secando minhas lágrimas — Fica aqui comigo, vem cá — ele se deitou ao meu lado e me envolveu em seus braços — Não me deixe.
— Jamais — beijou meu cabelo e depois acariciou meu braço. Ficamos em alguns minutos, ate eu perguntar algo por impulso.
— Justin quando você teve sua primeira vez? — no mesmo instante ele parou de acariciar meu braço e ficou calado. Senti minhas bochechas queimarem, olhei para ele com o melhor olhar inocente possível e o mesmo estava com os olhos arregalados.
— É... por que quer saber? — dei de ombros — Eu tinha quinze anos — engasguei e ele riu. 
— Então tá né — disse e encarei o teto com a testa franzida. É normal o homem perder a virgindade primeiro do que a mulher, só que confesso que tinha vergonha de ainda ser virgem — Foi com a Caitlin não é? — perguntei rindo. 
— Que inapropriada — ele balançou a cabeça e riu — Foi com ela Katherine — revirei os olhos e ri. 
— Como foi? 
— Tá ai já é demais. Você é muito curiosa para o meu gosto — me sentei e cruzei as pernas, o encarei emburrada.
— Me conta vai. 
— Por que você quer tanto saber? Tocou nesse assunto de uma hora para outra — riu e se sentou com as costas encostada na parede.
— É por que não vejo a hora de ter a minha primeira vez — respondi baixo, ele me olhou e deu um sorriso torto e depois balançou a cabeça — Vai Justin, me fala.
— Foi estranho — ele me olhou com tédio e eu ri.
— Quer dizer que minha primeira vez vai ser estranha? — perguntei sem entender o motivo de ter sido estranho.
— Não sua bobona — ele riu — Foi estranho por que nós dois éramos virgens, não tínhamos experiência alguma.
— Humm! — balancei a cabeça assentindo. Me deitei novamente e suspirei cansada, o quarto ficou em silêncio por alguns instantes.
— Kath...? — Justin me chamou baixinho.
— Hum?
— Você confia em mim— me virei para ele com a tesa franzida.
— Sim, eu confio. Por quê? — Justin ficou me encarando e não respondeu. Arquei a sobrancelha e quando eu iria falar alguma coisa, ele me beijou. Sua mão foi até minha cintura e ficou ali, já a minha foi até sua bochecha onde eu fiquei acariciando. De todas ás vezes que nos beijamos essa iria ficar como a melhor, por que de alguma forma era um beijo completamente diferente dos outros.
Sua língua brincava com a minha de uma forma espetacular. Uma sensação extremamente diferente percorreu por todo o meu corpo, um calor imenso subia em mim. 
O beijo de uma hora para a outra se tornou feroz e quente. Sua mão, que antes estava na minha cintura, deslizou para as minhas costas e parou em minha bunda, onde ele apertou. Dei uma risada que foi abafada pelo beijo. Minha mão direita brincava com seu cabelo e acariciava sua nuca, já a esquerda estava espalmada em seu peitoral. Assim que a falta de ar veio á tona para nós dois, Justin passou a dar beijinhos em meu pescoço e leves chupões – o qual eu esperava que não ficasse a marca.
Justin segurou minhas mãos e me puxou fazendo eu sentar na cama. Engatinhou até ficar atrás de mim e novamente começou a beijar lentamente meu pescoço, fechei os olhos e me deixei sentir todos os efeitos que ele tinha sobre mim. Ele segurou a barra da minha camisola e a puxou para cima, levantei os braços o ajudando. Justin começou a acariciar minhas costas até parar no fecho do meu sutiã, ele o desabotoou e eu o tirei jogando aquele pedaço de pano no chão. Voltou a beijar meu pescoço. Passou os dois braços em volta de mim e subiu sua mão pela minha barriga até chegar em meus seios. Gemi com a sensação, ele os acariciou e depois de um leve aperto e voltou a ficar de frente para mim. Sorri com vergonha e beijei seus lábios, Justin foi nos deitando na cama ficando por cima de mim. Minhas mãos foram para suas costas e eu comecei a desliza-la, senti ele se arrepiar e sorri em meio ao beijo. Seus beijos passaram para a minha clavícula e depois chupou meu seio esquerdo quando o outro era acariciado por sua mão. 
Eu soltava alguns gemidos baixos e parecia que Justin adorava isso. Meus seios estavam completamente rígidos e mesmo estando no começo, não aguentava mais ser torturada. Justin voltou a me olhar e me deu um selinho sorrindo logo em seguida. Sua boca deslizou sobre minha barriga ate chegar à minha cintura, ele segurou na barra da minha calcinha e nessa hora meu corpo enrijeceu. 
— Relaxa! — ele disse com uma calma incrível. O obedeci e assenti para que ele continuasse. Senti minha calcinha deslizar sobre minhas pernas e depois cair no chão, Justin tocou minha intimidade e eu fechei os olhos, arrepiada. Dois de seus dedos deslizaram sobre ela e começou a me estimular, da minha boca escapava gemidos roucos e descontrolados. Outrora sua língua me penetrou e eu mordi meus lábios sentindo um enorme prazer, agarrei o lençol e arquei minhas costas.
— Justin — gemi seu nome quando cheguei ao meu orgasmo, ele lambeu minha intimidade e limpou todo meu líquido. Segundos depois sua boca estava na minha e eu pude sentir meu próprio gosto. Pode parecer nojento mais naquele momento era extremamente excitante. Levei minhas mãos até a barra de sua cueca e a comecei a empurrar para baixo, ainda o beijando. Quando chegou em seu joelho, ele começou a empurra-la com seus pés. 
É, quem diria que um dia Justin Bieber estaria em cima de mim, completamente nu.
Ele separou nossos lábios e beijou meu queixo, ele mantinha seus olhos fechados.
— Você confia em mim? — perguntou novamente.
— Mais que tudo — respondi ofegante e ele sorriu.
— Então está preparada para sentir a potencia do Jerry? – perguntou sussurrando em meu ouvido. Eu sabia o que era Jerry, mas eu tinha que escutar da sua boca. 
— O que é exatamente o Jerry? – Jus riu fraco e me olhou.
— São vinte e três centímetros de puro prazer — eu não aguentei e comecei a rir. Oh horinha desgramada para Justin fazer piadas, respirei fundo e o encarei.
— Como você é idiota! – ele riu e me deu um selinho, voltei a rir e ele revirou os olhos.
— Para de rir, isso não é hora para você rir!
— Tá legal! Só um minuto – respirei fundo com os olhos fechados e sorri fraco – Pronto – Justin beijou minha clavícula.
— Vou pegar uma camisinha — assenti e ele se levantou, ele abriu o armário e segundos depois estava de volta. Abriu o pacotinho e colocou a camisinha. Uma vez em cima de mim, ele colocou uma mão em minha cintura e outra ao lado do meu rosto podendo apoiar seu peso. Abri mais minhas pernas para ele poder se encaixar melhor — Dobre as pernas — ele pediu e assim eu fim. 
— Vai doer muito? — ele me olhou e sorriu torto.
— Um pouco, mais é passageira. Eu juro — assenti e senti no mesmo instante ele penetrar vagarosamente para dentro de mim. Uma dor aguda me preencheu e eu mordi os lábios fortemente. Justin fechou os olhos e enrugou a testa, aquilo o deixou muito sexy. Soltei uma fraca risada pelo nariz e passei a língua sobre meus lábios. Aos poucos a dor foi passando e uma onda de prazer tomou conta de mim. Justin começou a se mover lentamente e eu gemi. Agarrei suas costas e comecei a arranha-la fortemente. Sem qualquer delicadeza.
— Katherine isso dói — ele disse entre os gemidos.
— Cala boca Bieber — respondi e ele riu. Procurei seus lábios e os beijei ferozmente. Assim que o beijo foi encerrado, Justin olhou em meus olhos e começou a me penetrar mais rápido, soltei alguns gemidos e ele também. Coloquei uma mão em sua nuca e a acariciei, Justin fechou os olhos e sorriu o que me fez sorrir também. 
— Você não tem noção o quanto eu esperava por isso — ele sussurrou e eu o encarei sem graça — Desde que comecei a enxergar as mulheres de outra maneira, meu maior desejo era desfrutar de seu corpo. Nosso primeiro beijo, fez com que isso aumentasse mais ainda — ele ficou me encarando enquanto nossos corpos se moviam em sincronia para cima e para baixo.
— Me beija — implorei e assim ele fez. Diferente de suas entocadas, seu beijo era bem calmo e transmitia um enorme carinho. Meu limite estava chegando assim como o todo Justin. 
— Geme para mim — beijou meu pescoço, continuei a gemer em seu ouvido e ele fazia a mesma coisa.

— Justin...eu... — antes que pudesse completar a frase, senti meu líquido escorrer entre nossas pernas e não demorou muito para Justin também atingir seu limite. Ele continuou por cima de mim, puxei seu queixo e lhe dei um longo selinho — Obrigada. Por tudo! — abri meus olhos e pela primeira vez em minha vida, eu vi um enorme brilho nos olhos de Justin. Diferente de qualquer brilho que algum momento preencheu seus olhos.

Oh céus que vergonha :/
Me surpreendi escrevendo esse capítulo, espero
que tenham gostado, por que fazer partes hot não é fácil.
Não sou muito boa mais esta ai, digam o que acharam
 e se preferem que o Justin seja mais "selvagem" da próxima vez haha :)
Beeeeijos e até o próximo capíutlo !

14 comentários:

  1. Perfeitoooo... Linda continua?? To amando...

    ResponderExcluir
  2. Hahahha sei exatamente como é! Continua guria, to amando <3

    ResponderExcluir
  3. AWN OMB QUE PERFEITA!!!! CONTINUA AMORE <3

    ResponderExcluir
  4. Ameiiiiiiiii. Meu, essa pergunta q o justin fez sobre o jerry! Tipo: muito maluco. E morri de rir. Ah, e da proxima quero mais selvagem hahhahaha bjs

    ResponderExcluir
  5. Ahh foi exatamente como deveria ser foi lindo!!!!! AMEI. BJUS
    @luh18gatinha

    ResponderExcluir
  6. Eu achei perfeito, sério, ficou uma coisa fofa e ele teve a paciência de "ensinar" a ela o que fazer, sem contar que rolou até piada - Eu ri - no meio... Enfim, continua logo, please... Beijos gata!

    ResponderExcluir
  7. Perfeito! Super meigo amor, não se envergonhe pois está incrivel! Continua sim, ok? kkk <3

    ResponderExcluir
  8. Meu Bieber se vc nao é acostumada a fazer essas partes imagine quando estiver acostumada

    ResponderExcluir
  9. Continua, muitoo perfeitoo!!

    ResponderExcluir
  10. Continua... to adorando só que agora mais picante !!! *-*

    ResponderExcluir
  11. Connntinuaaaa ,ta perfeito ,to vivendo essa ibh ,mds

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar um comentário. Além de deixar a autora feliz, vai ajudá-la a saber se você está gostando ou não. Se achar algum link que não esteja funcionando nos avise.