19/11/2013

She don't like the lights- capítulo 4

| |

"A vida toda é um teste"- The Walking Dead

A garota praguejou mentalmente. Por algum motivo desconhecido Justin Bieber estava na escola de seu irmãozinho, e o pior de tudo: Com ele no colo. Bieber parecia feliz, o irmãozinho da garota mais feliz ainda. Ao ver a alegria do irmão, a garota quase soltou uma risadinha.

Julliet gostaria de arrumar um jeito de tirar seu irmãozinho do colo de Justin Bieber e sair dali o mais rápido possível, sem ser vista pelo Bieber. Uma missão impossível.
Um plano milimetricamente arquitetado se formava em sua mente. E então, ele foi totalmente por água abaixo quando um menininho gritou:

- OLHA LÁ CORY, SUA IRMÃ BONITA. A BUNDA BONITA DELA TAMBÉM VEIO.

Julliet teria rido desse ultimo comentário. Ela desistiu de rir assim que percebeu que Bieber a encarava. O que era aquilo no rosto do garoto? Um sorriso malicioso? Julliet revirou os olhos.

-JULLI- Cory gritou enquanto corria para seus braços, seguido de perto por Bieber. A menina abraçou o irmãozinho, ignorando completamente a presença do astro pop.
- Olá criança.
- Você não vai acreditar quem eu conheci hoje – o menininho disse todo animado.
- Me deixa adivinhar. Por acaso é aquele cara que canta Baby? – a menina zombou.
- Ele canta All Bad – o menininho a corrigiu.
- É um prazer rever você, Mary ou Julliet.
- Julliet, meu nome é Julliet. Mas infelizmente não é um prazer tão grande assim te rever. Esses caras vão ficar te seguindo?- ela perguntou, referindo-se aos grandalhões que os cercavam. Um deles era aquele que havia derrubado um líquido gelado nela na noite anterior. Ela engoliu toda a vontade de desferir algumas palavras inapropriadas para o grandalhão.
- Provavelmente. Esse é o trabalho deles – o garoto dos olhos castanhos hipnotizantes disse.
- Ótimo – a garota bufou – Acho melhor irmos embora Cory.
- Ah NÃO, eu e o Bieber estávamos nos divertindo.
- Deixe isso para outro dia. Nós vamos embora, agora, e isso já esta decidido.
- Posso dar uma carona pra vocês – Bieber sugeriu.
- NÃO. Valeu, mas...
- SIM – o menininho gritou animado – Por favor, Julli, diz que nós podemos ir com ele- e então o menininho fez aqueles olhinhos suplicantes que sempre derretem qualquer um.
- a menina bufou- Tudo bem.
- Ei cara – Justin sussurrou para Cory, porém alto o suficiente para que Julliet pudesse ouvir- Sua irmã é sempre assim?
-Bonita? – o menininho questionou.
-Também- Bieber riu- Mas não é isso. Ela é sempre assim explosiva?
-Eu não sei, ela costumava ser diferente. Mas daí nossos pais fizeram uma viajem e...
-CORY- a menina o repreendeu- O que eu disse sobre contar sobre nossa vida para os estranhos?
- Mas ele não é estranho, ele passa na TV sempre.
- Só, fique quietinho, ok?

O menino assentiu. A menina voltou a encarar o pop star, ambos em silêncio. Ela esperava que ele dissesse algo, o pop star apenas gostava de encarar os olhos azuis dela.

- E então?- a menina perguntou impaciente.
- O que? Ah, sim... A carona.

Bieber tentou explicar tudo da melhor maneira possível. O que deveria ser uma simples saída se tornou um plano milimetricamente calculado. E quando se tratava de lerdeza Julliet era rainha. O plano precisou ser repetido duas vezes por causa dela. Bieber demorou mais uma eternidade para se despedir de todas as criançinhas, que pareceram bem tristes com sua partida. E como no combinado, Bieber sai primeiro seguido por seus brutamontes. Ela esperou alguns minutos e saiu pela porta dos fundos. Julliet se sentiu aliviada por não receber nenhum flash.
A menina ficou boquiaberta quando viu o carro de Justin. Ela nunca havia visto um carro tão belo. Só o motor daquela Ferrari 458 Italia custava mais caro que sua casa, provavelmente. Era até uma ofensa pensar em outro carro com aquele por perto.

- Hum... Julliet? Limpe sua boca, tem baba escorrendo dela- Bieber zombou.
- Muito engraçado- apesar de saber que era uma brincadeira (muito idiota) a garota limpou o canto da boca.

Cory estava eufórico. Nunca vira o menino com um sorriso tão grande no rosto. Ela até se sentiria feliz, mas ela havia se esquecido de como é ser realmente feliz.

- Você esta vendo isso Julli? Esse carro é demais- o garotinho disse. Ele mesmo abriu a porta e se sentou no banco de trás, observando cada detalhe do carro. Julliet entrou em seguida, sentando ao lado dele.

Bieber abriu a porta da frente e se sentou no bando de motorista. Mas, por algum motivo, não ligou o carro. Ele ficou ali, parado.

- Bieber, por acaso você tem noção de que precisa ligar o carro para sairmos daqui?
- Ah... Sim eu tenho, mas não vou ligá-lo até que você se sente no banco da frente.
- E por que eu faria isso?
- Bom, suponho que você queira ir para casa. E, como eu disse, não vou sair daqui até você vir aqui para frente.
- Se é assim, nós vamos embora caminhando.
- NÃO – Cory gritou- Julli, por favor. Esse vai ser o melhor passeio da minha vida.
- Você esta me devendo uma, criança irritante – a garota bufou e saiu do carro. Deu a volta nele e abriu a porta da frente.
- Coloquem os cintos- Bieber sugeriu.

Alguns segundos depois, quando Bieber deu a partida, Julliet entendeu o porquê da sugestão. Ela teve a leve sensação de que sua alma havia sido deixada para trás. Puta merda! Esse garoto dirigia rápido.

Julliet olhou pra trás para ver se seu irmãozinho estava em segurança. E por sorte, ele usava cinto. O garotinho parecia ainda mais eufórico.

Julliet comandou Bieber até sua casa. Depois de poucos minutos ele pararam em frente à casa de cor desbotada.

- Isso foi divertido! De novo- Cory pediu. Ele levantava o braço e os balançava de um lado para o outro, como se tivesse em uma montanha russa.
- Quem sabe em outro dia Cory – Bieber sorria para o menininho.
O menininho tirou o cinto e se levantou do assentou, sussurrou algo no ouvido de Bieber e saiu do carro. Julliet podia jurar que havia ouvido: “Acho que minha irmã gostou de você”. Bieber gargalhou baixinho e encarou a menina. Julliet evitou contato visual.
- Valeu- ela sussurrou e saiu do carro. Deixando ali, Justin Bieber com um sorriso travesso estampado no rosto.

(...)

Já se passava das oito da noite quando a campainha tocou. Julliet estava com o seu pijama do Bob Esponja. E sim, ela achava super normal uma menina de sua idade usar um pijama do Bob esponja. Ela se levantou do sofá, onde ela e seu irmãozinho inquieto assistiam Carros pela milésima vez. Excepcionalmente essa noite seu irmão estava mais inquieto.
Ela abriu a porta e se surpreendeu com quem estava ali:
- Mas o que... O que você esta fazendo aqui Bieber?

- Cory me chamou pra jantar. Espero que você tenha comida, porque eu estou morrendo de fome.

Heey semideusas lindas . Eu gostaria de esclarecer minha demora . Primeiro a vinda do Justin ao Brasil me deixou bem abalada, por não poder novamente vê-lo . Semana passada eu estava muito enrolada com os trabalhos do colégio . Essa semana, bom, não tem sido a melhor, eu tenho pensado várias vezes em para com essa fanfic :( Diferente da minha outra fanfic, o público do Justin é bem maior, não posso errar em nada você merecem algo perfeito, e eu não sei se posso fazer algo perfeito. Mas, enfim, enquanto eu não tomo minha decisão vou continuar postado capítulos lixosos :P Acho que o próximo capítulo vou escrever em primeira pessoa, acho que vai ficar melhor assim. Então, é isso semideusas lindas, até o próximo :3 E sobre eu não colocar um "nome" nessa "menina" , bom, eu escrevo assim para não ficar usando Julliet o tempo todo.
Divulgando :

4 comentários:

  1. Muito perfeito, serio *-* Kkkk só acho que o Cory está fazendo de tudo para ter o JayB como cunhado, por que né... Enfim, como assim para de postar She Don't Like Lights? E que história é essa que os capítulos estão um lixo? Dude, tá tudo perfeito, serio, amando demais a sua Ib... Continua logo, please... Beijustins gata!

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar um comentário. Além de deixar a autora feliz, vai ajudá-la a saber se você está gostando ou não. Se achar algum link que não esteja funcionando nos avise.