28/11/2013

Only Best Friends: Capítulo 6 - I'm willing to fall for you Kath

| |
Você foi o amor da minha vida. A escuridão, a luz
Este é um retrato que torturou - 30 Seconds To Mars Up In Th Air

Justin Bieber POV
Sai do chuveiro para deixar Kath tomar seu banho. Mais fiquei ali no banheiro mesmo, conversando com ela. O sorriso estava estampado no meu rosto, ele não saía dali de modo algum.
Kath terminou o banho dela e se enrolou em seu roupão, abriu o box e saiu como seus cabelos loiros molhados o que a deixou bem sexy. Ela pegou uma outra toalha e começou a secar seu cabelo e eu só a observava.
— Por que você esta me olhando assim? – ela perguntou rindo e eu sorri fraco para ela.
— Não pode mais te admirar? – ela corou e eu ri – Bom, vou tomar meu banho – ela assentiu e eu tirei minha roupa ficando só de cueca.
— Jus...
— Hum?
— Você beija muito bem – ela disse e depois riu parecendo perceber o que havia falado.
— Aé? – mordi os lábios e fui até ela. Passei meus braços em volta da sua cintura. Selei nossos lábios em um longo selinho, Kath riu e mordeu meus lábios – Você também beija muito bem!
Ela sorriu fraco e então eu fui tomar meu banho. Assim que desliguei o chuveiro, me sequei dentro do box mesmo e coloquei a cueca que Kath havia deixado ali. Fofa ela não?
Sequei meu cabelo e segui para o quarto. Katherine estava na varanda, ela vestia uma camisola lilás que ia até seu joelho. Seu cabelo balançava conforme o vento batia nele. Fui até lá e fiquei ao lado dela, apoiando meu braço na grade.
— E então...? – disse tentando puxar assunto.
— O que? – ela me olhou e eu dei de ombros.
— Não quero que o assunto morra entre nós dois.
— E não vai – ela disse convicta disso. Olhei para baixo e sorri.
— Sabe, você é tão confiante de tudo Kath. E isso é uma das coisas que eu mais admiro em você.
— Obrigado – ela riu – Mais Justin, e como fica... a gente? Quer dizer, vamos seguir como se nada tivesse acontecido? Vamos fingir?
— Eu não quero fingir.
— Eu também não quero – suspirou.
— Você quer deixar... rolar? – perguntei a encarando.
— Mas e se não der certo?
— A gente tenta de novo! – Kath riu balançando a cabeça
— Isso é loucura – dei de ombros.
— Sabe o que eu acho Katherine?
— O que você acha, Bieber? – ela se virou para mim sorrindo, puxei sua cintura e colei nossos corpos.
— Que vamos acabar nos apaixonando – sussurrei e encarei os olhos azuis de Kath.
— Acho que não – ela riu e eu beijei sua bochecha.
— Vamos ver então – olhando nos olhos um do outro, eu mordi seus lábios delicadamente e os puxei para mim. Kath passou seus braços em minha cintura e eu coloquei uma mão em seu rosto o acariciando. Aproximei meus lábios do seu, Kath foi fechando os olhos e eu fiz o mesmo. Encostei nossas bocas delicadamente até Kath colocar sua mão em minha nuca e aprofundar o beijo. Minha língua invadiu sua boca e ela a sugou fazendo eu me arrepiar, apertei sua cintura e encerrei o beijo com um longo selinho – Vamos dormir?
Katherine assentiu e eu passei meu braço pelo seu ombro e seguimos assim até a cama, me deitei e ela se deitou ao meu lado se aconchegando em meu peitoral. O silêncio dominou o quarto por alguns minutos até Kath falar.
— Será que Connor foi embora?
— Eu não sei.
— Estou com medo dele Justin – ela disse e se sentou na cama – Foi tão horrível.
— Não precisa ter medo – puxei ela para voltar a se deitar – Ele não vai chegar perto de você tão cedo. Agora, esquece isso está bem? – ela assentiu.
— Boa noite – ela olhou para mim e eu dei um selinho nela.
— Boa noite pequena!


Por volta das oito e meia da manhã, eu acordei. Kath ainda dormia e eu iria levantar quando percebi que sua perna estava em cima das minhas fazendo com que eu ficasse preso. Ri com isso e tentei tirar a sua perna sem acorda-la o que deu certo. Ela resmungou alguma coisa e agarrou meu travesseiro. Segui para o meu quarto para tomar um longo banho.
Chloe provavelmente tinha dormido com Jace, já que eu dormi no quarto que ela divide com Kath. Pensar em Chloe me fez lembrar de Connor, o que fez também o ódio subir pelo meu corpo todo. Nós dois nunca nos demos muito bem, ele sempre implicou comigo por conta da aproximação que eu tenho com a Kath. Porém, o que ele fez com ela, simplesmente passou dos limites.
Sai do chuveiro e fui até meu closet, como o frio ainda não havia passado, coloquei uma calça e uma blusa cinza de manga comprida. Calcei um par de supra preto e depois voltei para o quarto de Kath, ela estava da mesma forma que eu a deixei. Antes de acorda-la liguei na recepção e pedi para que entregasse nosso café.
Caminhei até a cama e me sentei ao lado de Kath.
— Hey pequena! – a chacoalhei de leve e obtive um resmungo de volta – Kath acorda.
— Me deixa dormir – ela disse e franziu a testa. Revirei os olhos, ela é muito preguiçosa.
— Acorda vai! – coloquei meu rosto no seu pescoço e rocei meu nariz ali – Anda.
— Nossa Justin como você é chato – ela virou para o outro lado e eu bufei.
— Cassete – sussurrei e fui para cima dela novamente. Só que dessa vez não seria nada delicado. Virei seu corpo para cima e me sentei em cima dela, ela acordou na hora. Quando ia começar a me bater, peguei seus pulsos e os coloquei no alto da cabeça a prendendo.
— Justin me larga.
— Não, ninguém mandou não acordar.
— Sai de cima de mim, você esta me esmagando – se contorceu e eu ri – Por favor.
— Não – levei meus lábios até seu pescoço e beijei o local, Kath gemeu na hora e eu ri.
— Me solta por favor – ela resmungou e eu encarei seus olhos.
— Bom dia dorminhoca – disse sorrindo e ela revirou os olhos.
— Bom dia Justin, bom dia. Agora da para você sair de cima de mim?
— Me da um beijo primeiro? – fiz cara de cachorro sem dono e Kath sorriu.
— Não.
— Não? – perguntei incrédulo.
— Não, até você sair de cima de mim – bufei e fiz o que ela pediu. Assim que levantei Kath pulou nas minhas costas quase me derrubando. Ela enlaçou suas pernas na minha cintura enquanto gargalhava. Caminhei até a cama e a derrubei lá.
— Sua loca – disse rindo, ela puxou minha blusa fazendo eu ficar por cima dela apoiado nos braços. – Eu realmente quero te beijar.
— Então beija – ela disse séria e por um motivo que eu desconheço, eu me arrepiei. Beijei seus lábios ferozmente e Kath respondeu na mesma intensidade, nossas línguas se enroscavam de forma calorosa e deliciosa. Minha mão escorregou na lateral de seu corpo até chegar em sua coxa, a apertei forte e Katherine arfou entre o beijo. Sorri vitorioso e suguei sua língua, o ar foi faltando em meus pulmões e eu tornei o beijo lento até encerra-lo com selinhos seguidos.
— Caralho, você me deixou excitado.
— JUSTIN! – ela gritou e riu em seguida – Da licença, deixa eu ir toma banho.
Sai de cima dela novamente e ela seguiu para o banheiro.
— Não demora por que eu já pedi o nosso café – assim que falei bateram na porta, fui até ela e peguei nosso café que estava em um carrinho. Coloquei as coisas na mesa que tinha ali e depois me joguei na cama para esperar Kath sair do banho. Meu celular tocou no bolso, o peguei e no visor marcava Alfredo.
 Diga minha vadia! – eu falei e ele riu.
— Ai Jus, não me trata assim – ele imitou uma voz feminina fazendo eu gargalhar.
— Que gay! O que você quer?
— Onde você está? Todos aqui estamos esperando você para tomar café.
— Podem tomar sem mim, eu pedi café para mim e para a Kath aqui no quarto.
— Hum, então tão né – fez drama e eu revirei os olhos – Peraí, você pediu café para você dois ai no quarto?
— É pedi, por quê?
— Você nunca pediu café para tomarem juntos no quarto – ri e revirei os olhos.
— Meu irmão, você não tem noção do que aconteceu – sentei na cama eufórico.
— Vai me dizer que vocês transaram?
— Não – franzi a testa – Ainda não – ele gargalhou.
— O que houve então?
— Ontem, depois que você e a Chloe saíram do quarto, eu levei Kath até o banheiro para ela tomar banho.
— VOCÊ VIU ELA PELADA? – ele gritou – Porra Justin, era para eu ser o primeiro a vê-la sem roupa.
— Não seu idiota, eu não vi el... o que? O que você disse? – perguntei incrédulo.
— Eu não disse nada.
— Seu viado, mais respeito com ela viu? – ele riu – Mas cala a boca agora e deixa eu falar. Nós nos beijamos.
— O QUE? VOCÊS SE BEIJARAM?
— Fala baixo gazela – reclamei – Ninguém pode saber, se Katherine descobrir que eu falei para você ela me mata. A gente vai deixar rolar, sabe?
— Justin isso é épico – dei risada – Vocês são perfeitos juntos, entende? E eu não sou o único que acha isso.
— Cala boca Alfredo você só fala merda.
— Isso não é verdade, eu estou falando sério. Que?
— Que? – perguntei sem entender.
— Não, eu estava falando com o Scooter, só um minuto – a linha ficou muda por algum tempo – Ok. Scooter pediu para avisar que vamos hoje para Newark  por que fica menos corrido e você pode terminar sua folga lá.
— Tudo bem, mas então, promete que não vai contar para ninguém? – a porta do banheiro foi aberta e Kath saiu enrolada em uma toalha.
— Prometo Justin, prometo.
— De dedinho? – perguntei rindo.
— Cara como você é gay.
— Vai se fuder.
— Estou precisando mesmo. Que tal quando...
— Tchau Alfredo – e desliguei na cara dele.
 Depois de cinco minutos, Kath apareceu vestida com uma calça jeans colada, uma bata caída e uma bota de couro. Ela seguiu para o banheiro e voltou em segundos.
— Hey, psiu – a chamei e ela me olhou – Você está linda – ela corou e eu ri.
— Vem tomar café – levantei e sentamos. O café foi em silencio, a não ser os gritos de Kath quando eu passava o chantilly do bolo em seu nariz enquanto eu gargalhava – Vem aqui – me aproximei dela, ela passou seu dedo no creme e depois passou na minha boca, se aproximou de mim e selou nossos lábios calmamente lambendo depois todo o creme.
— Hum isso foi bom – abri os olhos e ela sorria – Muito bom!
— Você esta parecendo um bobão apaixonado desde que nos beijamos.
— Vai ver estou me apaixonando por você – disse e ela riu.
— Vai se ferrar – ri e me levantei.
— Bom, eu vou para o meu quarto arrumar minhas malas.
— Para que?
— Vamos hoje para Newark – ela assentiu.
— Então vou arrumar as minhas também.
— Ok. Já volto então – me aproximei dela e selei nossos lábios. Enquanto nos beijávamos passei meu dedo no chantilly novamente.
— Não demora – me afastei dela e passei o chantilly por todo seu rosto, dei-lhe um selinho e sai correndo – FILHO DA PUTA – foi tudo o que escutei até fechar a porta.


Katherine Collins POV
Sentei na poltrona do ônibus depois que coloquei minhas malas no quarto do mesmo. Justin entrou segurando suas coisas logo depois, ele as jogou do lado das minhas e foi até o motorista falar alguma coisa.
Eu o observava até a cena de uma das meninas que dançam comigo falando, veio em mente.
— Aquilo que melhores amigos sempre se apaixonam é verdade. Só que há um problema, quando a0mbos deixam levar. Meu melhor amigo era como um irmão, sabe? Aí nós começamos a nos envolver, nos apaixonamos. E um dia brigamos feio e nos separamos. Se um dia me perguntarem se eu me arrependo de algo eu iria dizer que sim. De ter perdido ele. Hoje não nos falamos mais e essa é a pior parte.
Não entendi o porquê de lembrar disso, mas parece que veio como um aviso. Meu maior medo era perder Justin de alguma forma, eu não conseguia me ver um dia sem tê-lo ao meu lado.
Eu estava disposta a fazer qualquer coisa para não perdê-lo.
Coloquei minhas pernas em cima da poltrona e as abracei, apoiando meu queixo nos joelhos. Justin sentou ao meu lado e passou seu braço pelo meu ombro me puxando para perto dele. Fiquei em silêncio e percebi, pelo canto do olho, que ele me observava.
— O que foi? — ele perguntou. Respirei fundo e o olhei.
— Estou com medo disso Justin — ele ficou me encarando e depois olhou para o lado.
— Estava tão bem hoje de manhã — ele riu fraco.
— Eu sei! — suspirei com os olhos fechados.
— Você não quer continuar com isso né? — fiquei em silêncio — Cara, eu estava realmente gostando de ficar com você Kath. — eu também estava, pensei — Eu achei que ia dar certo.
Continuei em silêncio e ele se levantou.
— Justin... — o chamei, ele se virou para mim. Mas eu não sabia o que falar. Me levantei e fui até ele, quando o abracei forte, senti seu corpo enrijecer mas logo seus braços me envolveram — Você sabe qual é o meu maior medo Justin? — sussurrei. Ele não respondeu — É não poder sentir mais isso — disse me referindo ao seu abraço — Será que você me entende?
— Kath — sua voz quase não saiu.
— Já se imaginou sem mim? — desfiz o abraço e encarei seus olhos. Ele assentiu e eu sorri fraco.
— Eu faço isso a todo instante — ele admitiu.
— Eu também, eu só quero que você entenda que...

— Eu não quero entender nada Katherine — me interrompeu. Ele seguiu até a poltrona e se jogou — Já não namoro a dois anos. Dois anos. Tenho que ficar indo a essas boates e me divertir com prostitutas. A sensação é momentânea. No dia seguinte nem me lembro mais, ou talvez acorde com um arrependimento do cão. Sabe, eu não posso conhecer garotas, não posso sair com uma mulher diferente que o mundo já vem com um pau e sete pedras. Muitas vezes Scooter me proibi de fazer amizade com o sexo oposto, sabe por quê? Por causa dessa merda de mídia. E quando eu penso por um minuto que... Que eu poderia me envolver com alguém que eu confie, eu não posso. Eu me engano, porque você não quer a mesma coisa que eu — ele respirou fundo recuperando o fôlego. Por algum motivo meus olhos estavam marejados — Eu não te amo Kath, assim como você não me ama. Mas eu creio que um dia eu possa te amar. Não como seu melhor amigo, mas como um namorado ame a sua namorada, entende? Eu confio em você Katherine, confio tanto que eu... que eu estou disposto a me apaixonar por você! Será que isso é estranho ou difícil de entender?



Heeey sexy ladees! 
Hoje não vou falar muita coisa, por que tenho que escrever 
um capítulo da outra fic que escrevo.
Me digam sobre duas coisas; o que acharam do capítulo
 e o TEASER DE ALL THAT MATTERS
O que foi aquilo? Eu achando que seria algo fofo e romântico, 
estava enganada. Prevejo p0tarias!
É isso, bjkaas e não esqueçam de comentar :)


11 comentários:

  1. Omg tem como ficar mais perfeito acho q nao

    ResponderExcluir
  2. Ai que fofo! yhsjsuhshs eu vi o teser. Fiquri jogada. Continua bjs

    ResponderExcluir
  3. Awnnt que perfeito! Sua fic é incrível gata! Porfa não demora pra postar ok? <3

    ResponderExcluir
  4. Ta perfeitooooo.. Continuuuaaaa

    ResponderExcluir
  5. Sério, só acho que ela deveria deixar essa neura de lado, deixa rolar, a amizade deles e forte, não acabaria por causa disso... Enfim, continua logo, sério, tá muito perfeita sua Ib... Beijos gata!

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar um comentário. Além de deixar a autora feliz, vai ajudá-la a saber se você está gostando ou não. Se achar algum link que não esteja funcionando nos avise.